Blender, uma aventura em 3D!

É um software de criação 3D gratuito e de código aberto. Ele suporta a totalidade do pipeline 3D – modelagem, rigging, animação, simulação, renderização, composição e rastreamento de movimento, edição de vídeo e pipeline de animação 2D.

Tendo o Blender muitas aplicações, uma delas liga-se à Arqueologia, como se pode ver nas imagens em baixo.  Os Modelos 3D foram elaborados pelos alunos.

Desenho arqueológico de um vaso Calcolítico
Modelo 3D de um vaso Calcolítico
Desenho arqueológico de um vaso.
Modelo 3D de um vaso

Túmulo de Tin Hinan (Rainha dos Berbéres)

 

Aqui segue o primeiro de muitos sítios arqueológicos que os alunos da EPA detectaram durante o processamento de informação do projecto ARCHAEO.

“O Túmulo de Tin Hinan”

  • Tin Hinan é o nome dado pelo povo Tuareg a uma mulher nobre nascida no século IV, cuja monumental tumba fica perto do oásis de Abalessa, a oeste de Hoggar. O significado do nome remete ao tipo de vida levada pelos Tuaregues:
    “aquela-que-vive-em-tendas” é a interpretação literal do nome, cujo significado real seria “mãe da tribo” ou então “rainha dos que acampam”. Os Tuaregues também a apelidavam de “tamenukalt “que por sua vez significa “líder” ou “rainha”.


 

 

 

  • O local visto pela câmara do projecto Archaeo da Estação Espacial Europeia

 

  • A tumba de Tin Hinan, foi aberta por Byron Khun de Prorok com o apoio do exército francês em 1925, e outros arqueólogos fizeram uma investigação mais aprofundada em 1933.
  • O túmulo continha o esqueleto de uma mulher numa liteira feita de madeira , deitada de costas com ela cabeça voltada para o leste. Com ela, foi depositado ouro e jóias de prata, alguns deles adornados com pérolas. No seu antebraço direito tinha 7 braceletes de prata, e no seu esquerdo outras 7 pulseiras de ouro, outra pulseira de prata e um anel de ouro. Fragmentos de um colar, também ele contendo pérolas (reais e artificiais) estavam presentes.


  • Entre o espólio podem contar-se alguns outros  objectos funerários. Estes incluíram uma estátua “Venus” um cálice de vidro (perdido durante a Segunda Guerra Mundial), uma moeda do imperador Constantino I cunhada entre 308 e 324. A.D.  que concorda cronologicamente com o estilo de cerâmica encontrado, assim como outra parafenália presente no túmulo.

O espólio, e a prórpria Tin Hinan está actualmente no Museu Bardo, na Argélia.